Gincana entre estudantes vai promover reflexões sobre causas e consequências de ações corruptas

11set13 HelietePoucos são os que atentam para o fato de que atitudes como pagar a terceiros para fazer um trabalho escolar e pescar do colega durante uma avaliação possam significar, diante da impunidade, um incentivo que, ao longo do tempo, contribui para a prática crescente de ações corruptas para a sociedade em vários níveis. Com o intuito de conscientizar a sociedade, especialmente crianças e adolescentes, foi lançada hoje, dia 11, a ‘1ª Gincana Todos contra a corrupção’, que até o final do ano envolverá alunos do 6º ao 9º ano da rede municipal de ensino. Durante o cumprimento de tarefas devidamente debatidas com os professores, os estudantes serão incentivados a refletir sobre as causas e consequências de ações corruptas, reforçando a importância de ser criada uma cultura de valores e princípios éticos que contribuam para a construção de um país mais justo e melhor.

Realizada por meio da uma parceria firmada entre o Ministério Público estadual e a Secretaria Municipal de Educação, a gincana busca desenvolver o senso de cidadão de direitos e deveres dentro da sociedade em que vive. Durante a solenidade de lançamento realizada na sede do MP, bairro de Nazaré, com a participação do coral “MP em Canto”, o promotor de Justiça Valmiro Macedo teceu considerações sobre a importância dos mestres em mostrar para os alunos que pequenas atitudes podem desaguar em comportamentos mais graves. Coordenador do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça da Cidadania (Caoci), ele lembrou que, embora sejam registradas atitudes deploráveis de alguns políticos, a política é fundamental no exercício da cidadania. Por isso, considera importante estarmos atentos para não permitir que a corrupção impeça que sejam feitos investimentos mais maciços em áreas como educação, saúde e segurança.

11set13 mesaAo se pronunciar, o secretário municipal de educação Jorge Khoury disse acreditar que a educação é, foi e será prioridade na formação de qualquer sociedade e, dirigindo-se aos estudantes que ouviam atentos, falou que foi por esse intermédio que galgou os cargos que tem ocupado ao longo de sua vida pública. Entende que por vezes as pessoas não fazem boas escolhas na hora de escolher um político, mas que a sociedade vai se aperfeiçoando e mostra a importância das escolas onde devem acontecer encontros promovidos pelas coordenadoras que se fizeram presentes com os outros gestores a fim de mobilizar toda a rede de ensino para participar da gincana. Ele mostrou otimismo no sentido da iniciativa poder ser seguida por outras instituições e segmentos.

Da mesa de abertura também fizeram parte o promotor de Justiça Adriano Assis, coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate a Moralidade Administrativa (Gepam), que falou da importância do engajamento de todos para ter um resultado prático na vida onde “fazer o certo exige persistência e dedicação.” Para a coordenadora da campanha ‘O que você tem a ver com a corrupção?’, promotora de Justiça Heliete Viana, não apenas os corruptos estão errados, pois eles se confundem com os corruptores tendo os dois o mesmo patamar de responsabilidade. Segundo ela, “a correção de pequenos erros cometidos desde criança vai evitar que haja a banalização do mal, que o mal não seja tão naturalmente aceito.”

A promotora de Justiça Pilar Maquieira, coordenadora do Centro de Apoio Operacional de Defesa da Educação (Ceduc), também deu seu reforço participando da solenidade e falando de seu trabalho de visitas a escolas e postos de saúde dentro do programa ‘O MP e os Objetivos do Milênio’, que prorrogou as inscrições para o concurso que vai eleger a melhor escola pública do ano. Incentivando os diretores, gestores e coordenadores presentes, ela disse que será importante a participação do maior número de escolas sendo que a vencedora receberá prêmios que beneficiarão a própria escola e as atividades dos alunos.

11set13 palestraCoube a psicóloga Vera Lúcia Rocha fazer palestra sobre o papel da educação na construção de uma sociedade ética interagindo com os estudantes e professores. Para ela, criança aprende com exemplos e não com discursos. Ninguém nasce corrupto, disse Vera Lúcia, destacando que isso se aprende em vários espaços onde a criança circula. O detalhamento da gincana foi feito pela professora Juçara Araújo, coordenadora do Cenap, da Secretaria Municipal de Educação. As escolas formarão equipes e, segundo o regulamento, “todas as atividades deverão ser originais, sem plágio, elaboradas pelos alunos.” Os vencedores receberão os prêmios em 9 de dezembro, quando se comemora o Dia Internacional de Combate à Corrupção.

Fotos: Humberto Filho/ Imprensa-MP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *